Golaço: Conheça a história do gol mais bonito marcado por Pelé. E que não foi filmado!

Há 62 anos, com apenas 19 anos de idade, Pelé deixou todos os presentes de queixos caídos na partida entre Santos e Juventus-SP. Eram cerca de 10 mil espectadores na Rua Javari, em partida válida pelo Campeonato Paulista de 1959.

Infelizmente para todos os mantes do futebol, não existem imagens desse gol, uma vez que o jogo não teve transmissão e nem ao menos filmagens. Porém, com a tecnologia o lance pôde ser recriado na era do futebol.com, ou seja, virtualmente.

No dia 2 de agosto de 1959 o Rei Pelé marcava aquele que seria considerado pelo próprio, como “o gol mais bonito de sua carreira”, na vitória do Peixe por 4 a 0, diante do Juventus-SP, na famosa Rua Javari. Nessa mesma partida o Rei marcou mais dois gols e Dorval fechou a fatura.

O lance

Após receber passe de Dorval, Pelé – o maior de todos os tempos – aplica quatro chapéus, incluindo um no goleiro Mão de Onça e, de cabeça, estufa a rede do Moleque Travesso, como é conhecido até hoje, o time do Juventus da Mooca. Era o quarto gol do Santos na partida e o terceiro de Pelé. Um golaço sem precedentes e que nunca mais foi reproduzido.

Apesar de não ter sido filmado, a obra prima foi narrada e comentada pelos maiores cronistas esportivos da época. Um deles, Ari Fortes, assim descreveu o gol do Rei:

“Aos 42 minutos ocorreu o tento joia de Pelé, que fez vibrar a grande assistência. Em manobra de Dorval e Coutinho, a pelota se ofereceu ao ‘scrathman’ que, num de seus lances característicos, encobriu Homero, colhendo a bola à frente. Clóvis interveio e também foi superado com idêntico golpe. Por último saiu da meta o arqueiro Mão de Onça e, igualmente Pelé o encobriu, ficando com o arco vazio à sua disposição. Antes da aproximação de qualquer outro defensor juventino, o atacante santista lançou o corpo ligeiramente para diante e, com sutil golpe de testa atirou a esfera às malhas. Lance realmente espetacular que valeu ao autor do tento. Como se disse, os cumprimentos de vários elementos do próprio conjunto antagonista e os aplausos em massa de todo o estádio! Depois de jogada de tão primorosa concepção nada mais se poderia esperar de relevo nos últimos três minutos. E o prélio se encerrou com 4 a 0 pró Santos”.

Após marcar, o estádio todo aplaudiu o Rei Pelé. Até mesmo os torcedores e jogadores do Juventus-SP se renderam naquele dia à iminente realeza de Edson Arantes do Nascimento.

A seguir o lance reproduzido pela computação gráfica, exibido no documentário “Pelé Eterno”, de 2004 e com direção de Aníbal Massaini Neto.

 

 

Abaixo os poucos registros fotográficos do lance memorável:

Sequência de fotos do quarto gol de Pelé

Sequência de fotos do quarto gol de Pelé

 

Sequência de fotos do quarto gol de Pelé

Sequência de fotos do quarto gol de Pelé

 

Sequência de fotos do quarto gol de Pelé

Sequência de fotos do quarto gol de Pelé

 

Ilustração capa: Marco Sousa

Categorias: Campeonatos / Clubes / Futebol / OpiniãoPágina inicial

João Corneta

Veja todos os posts de

Veja também: