E agora José? (Versão futebolística)

E agora, José?

O jogo acabou,

seu time perdeu,

a torcida sumiu,

todo mundo chorou,

e agora, José?

e agora, mané?

você que é sem fé,

rezou, implorou,

não foi atendido,

e agora protesta?

O que é isso, José?

O juiz apitou,

está tudo perdido,

não tem outro jogo,

já não pode torcer,

já não pode pular,

sorrir já não pode,

a noite chegou,

a vitória não veio,

a alegria não veio,

a tristeza imperou,

não tem para onde ir,

só resta chorar,

seu sonho ruiu,

a raiva voltou,

e agora, José?

E agora, José?

Sua amarga lembrança,

agora é verdade,

xingou o juiz,

a mãe dele também,

xingou jogador,

xingou todo mundo,

pela incompetência,

que ódio – e agora?

Com a chave na mão

precisa ir embora,

mas como José?

Roubaram seu carro,

um pivete chegou,

apontou uma arma,

quer levar seu dinheiro.

José, e agora?

Se você pedisse,

se você implorasse,

se você chorasse

com todo fervor.

Mais sofrimento,

não entende por quê,

pensou em morrer…

Mas não foi desta vez,

pouparam você.

Sozinho na rua

derrotado e perdido,

sem telefone,

sem documento,

só resta o orgulho,

orgulho ferido,

no meio do nada,

você chora, José!

E sabe por quê.

Categorias: OpiniãoPágina inicial

André Fidusi

Publicitário e jornalista por formação, ilustrador por vocação. Futebol na veia. Quem pede recebe, quem desloca tem preferência. Pegar de pé é dibra. Vamo que vamo!

Veja todos os posts de

Veja também:

  • Varsóvia, 1939: a última partida

    Durante seis anos, entre 1939 e 1945, cada partida de futebol poderia ser a última. E para muitos foi. A história da "Última Partida" em solo polonês antes da II Guerra Mundial.

  • Dois pesos, duas medidas. Por que o Mundial de Clubes não é tão valorizado pelos europeus?

    Nas derrotas dos sul-americanos os jogadores se jogavam no chão em lágrimas, eram consolados pelo europeus, que nem comemoravam direito o feito: terem sido campeões mundiais de futebol.

  • Não é o resultado, mas sim o desempenho como maior valor

    Jürgen Klopp e Pep Guardiola são técnicos de futebol, e não treinadores. Os dois gostam e buscam jogar bem, é a prioridade em seus trabalhos.

  • Repensando o Futebol

    O principal objetivo da tecnologia durante o século XXI será humanizar o ser humano. Diante de todos os desafios atuais, tornou-se mais estratégico do que nunca assimilarmos as pistas que existem nos diversos cenários da sociedade para superar essa pandemia.

  • Ouro de Tolo

    A polêmica decisão da CBF no pódio olímpico na Tóquio 2020. A expressão “ouro de tolo” era utilizada na idade media para representar as pessoas que compravam ouro de falsos alquimistas e que na verdade eram pedras sem valor, pintadas de dourado.

  • A Chave da Morte na Copa da Rússia

    As oitavas vão começar! No mata-mata o negócio é diferente, fica muito mais emocionante, ainda mais com a novidade dessa Copa: a "Chave da Morte"!