Top 5 Curiosidades da Copa do Mundo de 86

Mudança de sede. Imposição ditatorial. Na marca da cal. El Pibe de Oro. Azteca. Confira o Top 5 Curiosidades da Copa do Mundo de 86. Leia no Blog do Futbox, as histórias das Copas de 1930 a 1982.

 

1) Desistência

Em 1966, a Colômbia foi homologada como a sede da Copa de 86. Mas em setembro de 82, o presidente colombiano Belisário Betancurt anunciou a desistência de sediar o torneio por alegar insuperáveis dificuldades econômicas e sociais.

No ano seguinte, a Fifa anunciou o México como nova sede (o 1º país a sediar duas edições: a outra foi em 1970). Em 1985, dois terremotos atingiram o país, mesmo assim o Mundial estava confirmado para o território mexicano.

 

2) Mohammed Hussein

Em sua única participação em Copas do Mundo, o Iraque fez um papelão. Não bastasse perder seus três jogos, uma decisão política pesou na escalação do time no jogo de estreia contra o Paraguai. O técnico brasileiro Evaristo de Macedo foi obrigado a escalar o atacante Mohammed Hussein, parente distante do ditador Sadam. O desempenho do “protegido” foi pífio e os paraguaios venceram a partida por 1×0.

 

3) Equilíbrio

As partidas das quartas-de-final mostraram o equilíbrio da Copa do Mundo de 86. Dos quatro confrontos, três foram decididos nas penalidades. Espanha x Bélgica*; Alemanha Ocidental* x México; e Brasil x França*.

*classificados

 

4) Diós Maradona

O único jogo das quartas definido no tempo normal foi entre Argentina e Inglaterra. Os sul-americanos venceram por 2×1 com dois gols antológicos de Maradona. No primeiro, o camisa 10 usou a mão (“La Mano de Diós”, nas palavras do craque) para antecipar o goleiro inglês Peter Shilton e tocar a bola para o fundo das redes. No segundo, “El Pibe de Oro” recebeu a bola no campo de defesa, deixou para trás toda a zaga adversário, inclusive Shilton e fez 2×0 para a Argentina. Foi considerado pela FIFA, como o “El Gol del Siglo”.

Confira a animação stop motion do Gol do Século.

 

5) Azteca

29 de junho, Argentina 3×2 Alemanha Ocidental. A final da Copa do Mundo de 86 foi disputada no Estádio Azteca, o mesmo que viu o Brasil bater a Itália por 4×1 na decisão de 1970. Foi o 19º jogo de Copas no principal palco do futebol mexicano, um recorde absoluto na história da competição.

 

Fonte: O mundo das Copas, de Lycio Vellozo Ribas

Categorias: Opinião / SeleçõesPágina inicial

Gabriel Godoy

Jornalista; frustrou-se na tentativa de ser um jogador profissional; peladeiro; apaixonado por futebol de campo, de rua, de botão, de vídeo-game...

Veja todos os posts de

Veja também:

  • OFICIAL É A PAIXÃO

    Baixe o escudo do Brasil e personalize a sua camisa! Aproveite a Copa. Curta a seleção, ela é de todos. Vibre com o futebol junto dos amigos, dos namorados e da família. Compartilhe fotos e seus momentos de alegria nessa Copa com a hashtag #OficialéaPaixão.

  • Varsóvia, 1939: a última partida

    Durante seis anos, entre 1939 e 1945, cada partida de futebol poderia ser a última. E para muitos foi. A história da "Última Partida" em solo polonês antes da II Guerra Mundial.

  • A história da Eurocopa: Todos os campeões

    A partir de junho, acontecerá a 16ª edição do mais tradicional torneio de seleções do velho continente: a Eurocopa.

  • Futebol Para Todos

    "Rico vai ao estádio. Pobre assiste ao futebol na TV". Além de ser uma miopia social, essa afirmação é uma ingratidão gigantesca. #FutebolParaTodos

  • Como Daniel Alves pode mudar o São Paulo?

    A relação entre o craque Daniel Alves e o gigante São Paulo Futebol Clube. A liderança e a grande carreira do lateral bicampeão olímpico serão inspiradores para os jogadores mais novos na segunda metade do Brasileirão?

  • Não é o resultado, mas sim o desempenho como maior valor

    Jürgen Klopp e Pep Guardiola são técnicos de futebol, e não treinadores. Os dois gostam e buscam jogar bem, é a prioridade em seus trabalhos.