Cartões amarelos e vermelhos

Com o objetivo de fazer do futebol, um esporte cada vez mais agradável, nas últimas semanas, o Blog do FUTBOX trouxe sugestões de mudanças nas regras do jogo e nos regulamentos dos campeonatos de futebol (Impedimento e 0x0 / Substituições, faltas e duração da partida / Jogos eliminatórios e gol qualificado). E os temas desse post, o último da série “Propostas do FUTBOX”, são os cartões amarelo e vermelho.

Eles foram implementados pela primeira vez na Copa do Mundo de 1970, com o propósito de funcionar como uma língua universal, um código para jogadores e arbitragem. A ideia partiu do ex-árbitro Ken Aston e as cores foram inspiradas nos sinais de trânsito: amarelo para advertência e vermelho indicando expulsão.

O cartão amarelo não demorou a ser mostrado. Logo no primeiro minuto do jogo de estreia do Mundial, o alemão Kurt Tschenscher advertiu dois jogadores soviéticos e um mexicano. Já o vermelho, seria mostrado pela primeira vez em mundiais em 1974, na partida entre Alemanha Ocidental e Chile. O chileno Carlos Caszely foi expulso pelo árbitro turco Dogan Babacan, após receber o segundo cartão amarelo.

Itália x Holanda pela UEFA Euro sub-21

Itália x Holanda pela UEFA Euro sub-21

A moda “pegou” e os cartões passaram a ser um dos instrumentos de trabalho indispensáveis aos árbitros de futebol. São utilizados em todas as partidas oficiais. Além da advertência e punição nos jogos, os cartões podem significar a suspensão de uma atleta na partida seguinte. Em Copas do Mundo, por exemplo, dois cartões amarelos ou um vermelho suspendem o jogador da próxima rodada.

Em alguns campeonatos, entre eles, o Brasileirão, a suspensão automática é cumprida após três cartões amarelos. No entanto, não é raro ver um jogador cumprir a pena, voltar no jogo seguinte e depois de poucas partidas ser suspenso novamente. A proposta do FUTBOX é que para a segunda sequência de três cartões amarelos, o infrator cumpra dois jogos de suspensão. A terceira, três e assim por diante. Na Inglaterra, é adotado sistema parecido, porém após sequência de cinco cartões amarelos.

Para o caso de cartão vermelho, seria aplicada a suspensão direta do jogador infrator para os dois jogos seguintes. A punição ainda seria sujeita a análise por parte da entidade organizadora, que poderia aumentar a pena ou até mesmo excluir o jogador da competição em questão.

Uma forma de punir os adeptos do anti-jogo, os “catimbeiros” de plantão e os “atores” do futebol que adoram simular faltas e lesões. São medidas em prol do craque e dos torcedores que não apenas querem viver o jogo, mas também presenciar um espetáculo do planeta bola.

Categorias: OpiniãoPágina inicial

Gabriel Godoy

Jornalista; frustrou-se na tentativa de ser um jogador profissional; peladeiro; apaixonado por futebol de campo, de rua, de botão, de vídeo-game...

Veja todos os posts de

Veja também:

  • You’ll Never Walk Alone. Decepção, Sucesso e Glória

    You'll Never Walk Alone. Um duelo entre dois gigantes europeus pelo título da Champions! Real Madrid vs Liverpool. Um jogo memorável, até os 24 minutos do primeiro tempo.

  • NOVO CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO

    Relacionar o patrocinador ao clube de uma forma inteligente e que faça sentido para o torcedor possibilitará a manutenção desse ecossistema, sustentado por um calendário que se preocupe com a sua principal força de trabalho.

  • Ética x Oportunidade

    Existe muita discussão se os treinadores deveriam ou não deixar os clubes em momentos tão importantes numa temporada. Precisamos mergulhar fundo na relação “ética x oportunidade“.

  • Varsóvia, 1939: a última partida

    Durante seis anos, entre 1939 e 1945, cada partida de futebol poderia ser a última. E para muitos foi. A história da "Última Partida" em solo polonês antes da II Guerra Mundial.

  • AS NOVAS DEMARCAÇÕES DO CAMPO DE FUTEBOL

    Mais gols, mais emoção e menos erros de arbitragem! Conheça as novas demarcações do campo de futebol. Comente e divulgue a sua opinião!

  • GreNal é o clássico no Brasil de maior rivalidade segundo jornal inglês

    Segundo o dicionário, rivalidade significa: concorrência, competição entre pessoas que pretendem a mesma coisa. No futebol, esse significado é elevado ao quadrado!